Atualização sobre o coronavírus

Cepas emergentes de coronavírus e pacientes veterinários

Atualização de diagnóstico • março de 2020

Um novo coronavírus que está provocando uma epidemia de doenças respiratórias em humanos levantou dúvidas quanto à possível relevância desse vírus recém-descoberto para nossos pacientes veterinários. Este guia apresenta informações resumidas que respondem a algumas das perguntas mais frequentes sobre o coronavírus. Os conhecimentos acerca dos coronavírus e da sua transmissão evoluem rapidamente. Sugerimos que você consulte as fontes de referência no fim deste documento para obter informações atualizadas.

A Doença Coronavírus 2019 (COVID-19) foi detectada pela primeira vez na China, com um surto que teve início na cidade de Wuhan. Essa doença é provocada por um novo coronavírus denominado SARS-CoV-2, e acredita-se que ele tenha se originado em morcegos. Desde o seu aparecimento no fim do ano de 2019, a COVID-19 se espalhou pelo mundo.1-3

O vírus SARS-CoV-2, que causa a COVID-19, é um coronavírus específico que infecta o trato respiratório humano, sendo diferente dos coronavírus identificados anteriormente em infecções de pacientes humanos ou veterinários. Os coronavírus são uma grande família de vírus que consistem de vários subgrupos de vírus comumente encontrados em humanos e outros mamíferos, além de aves e répteis.

Os coronavírus alfa e beta (inclusive aqueles responsáveis pelo resfriado comum em humanos) geralmente infectam mamíferos, enquanto os coronavírus gama e delta geralmente infectam aves e peixes. Os coronavírus que comumente provocam doença respiratória ou gastrointestinal em nossos pacientes veterinários são os coronavírus alfa. O SARS-CoV-2, responsável pelos recentes surtos respiratórios de COVID-19 em humanos, é um coronavírus beta.

Animais de companhia e a transmissão da COVID-19

Até a data de hoje, não temos conhecimento de nenhum relato de doença respiratória em animais de companhia provocada pelo vírus SARS-CoV-2. Até onde se sabe, a COVID-19 é uma doença específica de seres humanos, e não se espera que ela resulte em zoonose reversa (transmissão de seres humanos para animais) em animais de companhia expostos a tutores infectados.1–4

Segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (U.S. Centers for Disease Control and Prevention, CDC), acredita-se que os animais de companhia não transmitem o vírus SARS-CoV-2 para humanos ou outros animais,1 e não temos conhecimento de qualquer relato de infecção ou doença clínica em animais de companhia nos Estados Unidos até a presente data.1,2 Há relatos de um cão em Hong Kong que coabitava com uma família de pessoas infectadas e cujo resultado do teste de PCR para o vírus SARS-CoV-2 foi fraco-positivo. No momento do teste positivo e até a data de hoje, o cão não apresentou nenhum sinal clínico. Ele permaneceu fraco-positivo apesar de ter sido posto em quarentena fora da convivência com a família. Um segundo cão da mesma família tem apresentado resultados negativos repetidamente. Este parece ser o primeiro caso de transmissão não clínica do vírus SARS-Co-V-2 de humano para animal de companhia.1–3,5 Caso um tutor de animal de companhia seja diagnosticado com COVID-19, o CDC recomenda limitar o contato com outros animais de companhia como medida de precaução para a saúde animal até que se obtenha mais informações sobre o vírus.1

Neste momento, os especialistas não recomendam a triagem de animais de companhia assintomáticos para o vírus SARS-CoV-2.2 É improvável que cães, gatos ou cavalos com sintomas respiratórios tenham COVID-19.1–4 Nesses casos, recomenda-se um Painel Respiratório RealPCR abrangente a fim de avaliar a presença de patógenos respiratórios mais comuns, como o vírus influenza.

Os conhecimentos acerca da transmissão do SARS-CoV-2 e da doença COVID-19 evoluem rapidamente. Consulte a página da COVID-19 no site do CDC para obter informações atualizadas sobre o risco da transmissão do SARS-CoV-2 em animais.

Monitoramento da emergência

Os Laboratórios de Referência IDEXX desenvolveram um teste PCR em tempo real para detectar o SARS-CoV-2 com base nas sequências genéticas do vírus publicadas a partir da epidemia humana. Este teste não está disponível para comercialização no momento. A IDEXX está monitorando ativamente a emergência de COVID-19 em caninos, felinos e equinos encaminhados até nós para painéis respiratórios RealPCR. Até a presente data, não encontramos evidências do vírus SARS-CoV-2 nessas amostras clínicas, mesmo aquelas com resultados positivos para coronavírus respiratório canino.

Coronavírus em animais de companhia

Embora aparentemente o SARS-CoV-2 não desempenhe um papel significativo para o surgimento da doença em animais de companhia, há outros coronavírus mais perigosos. A IDEXX dispõe de testes RealPCR para essas infecções comuns por coronavírus em cães, gatos, furões e cavalos. São testes específicos para diversos coronavírus veterinários e não detectam o SARS-CoV-2. 6 Os coronavírus detectados por esses testes são específicos para determinadas espécies e não infectam seres humanos.

  • O coronavírus respiratório canino contribui para o complexo respiratório infeccioso canino (também conhecido como traqueobronquite infecciosa canina, ou “tosse dos canis”). Ele provoca sinais clínicos semelhantes àqueles do resfriado comum. O teste RealPCR da IDEXX para coronavírus respiratório canino faz parte do nosso painel RealPCR para Doença Respiratória Canina (Canine Respiratory Disease, CRD) abrangente.
  • Os coronavírus entéricos podem causar infecção intestinal e diarreia, principalmente em animais mais jovens. Muitas infecções podem ser assintomáticas. Os testes RealPCR da IDEXX para coronavírus entérico em cães, gatos, cavalos ou furões estão incluídos em nossos painéis Diarreia RealPCR abrangente. Conforme observado acima, esses vírus são espécie-específicos. Por exemplo, o coronavírus entérico canino não infecta felinos e vice-versa.
  • A peritonite infecciosa felina (PIF) é uma mutação do coronavírus entérico felino que resulta em doença inflamatória sistêmica grave, muitas vezes fatal. A IDEXX dispõe de um teste RealPCR de biótipo do vírus da PIF que detecta as mutações mais comuns causadoras de PIF.
Coronavírus na pecuária e na avicultura

A IDEXX também fornece testes para vários coronavírus que afetam rebanhos e animais de produção. Um coronavírus gama, o vírus da bronquite infecciosa (infectious bronchitis virus, IBV) é economicamente relevante para a avicultura. Os coronavírus alfa podem provocar doença respiratória ou gastrointestinal leve em rebanhos, com sinais semelhantes àqueles apresentados por coronavírus caninos e felinos. Assim como os testes mencionados acima, esses testes são específicos para diversos coronavírus veterinários e não detectam o SARS-CoV-2. Os coronavírus detectados por esses testes são espécie-específicos e não infectam seres humanos.

  • O vírus da bronquite infecciosa (infectious bronchitis virus, IBV) provoca doença respiratória que se espalha rapidamente em aves jovens. Galinhas adultas infectadas apresentam queda na produção e ovos de baixa qualidade. A IDEXX dispõe de um ELISA para detecção do IBV.
  • Os coronavírus entéricos suínos são vários coronavírus que infectam suínos provocando sintomas respiratórios ou gastrointestinais, e incluem o vírus da gastroenterite transmissível (transmissible gastroenteritis virus, TGEV). Podem ocorrer ainda infecções leves ou assintomáticas. A IDEXX dispõe de um teste RealPCR para TGEV.
  • Os coronavírus bovinos podem causar diarreia em bezerros. Eles também podem provocar disenteria de inverno com diarreia sanguinolenta, sinais respiratórios leves e redução da produção no gado adulto. A IDEXX dispõe de um ELISA para detecção de antígenos de coronavírus na diarreia de bezerros.
Prevenção da infecção de COVID-19

As recomendações para prevenção da disseminação da COVID-19 se concentram na prevenção da exposição. Entre outras medidas, deve-se limitar contato pessoal com indivíduos doentes, viagens e eventos com grande concentração de pessoas; lavar as mãos regularmente; e cobrir a boca e o nariz ao tossir ou espirrar.1,2

Até o momento presente, nenhum medicamento antiviral se mostrou eficaz para o tratamento da COVID-19. Não há vacinas disponíveis comercialmente no momento para a prevenção da infecção por SARS-CoV-2 em humanos ou animais.

Recursos adicionais

Acesse estes sites para obter informações atualizadas sobre a epidemia de COVID-19, além de recursos úteis sobre prevenção e controle da COVID-19.


Referências

  1. Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Doença pelo Coronavírus 2019 (COVID-19) cdc.gov/COVID19. Consultado em 5 de março de 2020.
  2. Organização Mundial de Saúde. Epidemia de Doença pelo Coronavírus (COVID-19). who.int/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019. Consultado em 5 de março de 2020.
  3. Associação Médica Veterinária Americana. COVID-19: O que os veterinários precisam saber. avma.org/coronavirus. Consultado em 5 de março de 2020.
  4. Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (World Small Animal Veterinary Association, WSAVA). O novo coronavírus e os animais de companhia – recomendações para membros da WSAVA. wsava.org/news/highlighted-news/the-new-coronavirus-and-companion -animals-advice-for-wsava-members. Consultado em 5 de março de 2020.
  5. Baixo nível de infecção de COVID-19 em cão de companhia [comunicado de imprensa]. Hong Kong: Governo da Região Administrativa Especial de Hong Kong; 4 de março de 2020. www.info.gov.hk/gia/general/202003/04/ P2020030400658.htm. Consultado em 5 de março de 2020.
  6. Estudos de validação do COVID-19 RealPCR: análises BLAST [Ferramenta Básica de Localização de Alinhamento Local] e estudos de reatividade cruzada. Março de 2020. Dados em arquivo da IDEXX Laboratories, Inc. Westbrook, Maine -–Estados Unidos.

Entre em contato com o atendimento ao cliente

Informações sobre saúde pública e outras questões não relacionadas a clientes: Clique aqui.