Teste de anticorpo contra ApxIV do APP da IDEXX

Actinobacillus pleuropneumoniae (APP)

O teste de anticorpo contra ApxIV do APP da IDEXX é um imunoensaio enzimático para a detecção de anticorpos contra Actinobacillus pleuropneumoniae (APP), o patógeno causador da pleuropneumonia suína, em soro e plasma de suínos, independentemente do sorotipo do APP. É possível diferenciar animais vacinados (teste com resultado negativo) de infectados (teste com resultado positivo).

  • Baseado na toxina ApxIV.
  • Capaz de detectar todos os sorotipos por causa da toxina comum e específica ApxIV.
  • Nenhuma reatividade cruzada com outras bactérias.
  • Excelente ferramenta para detecção do nível de anticorpos maternos (maternally-derived antibody, MDA) para encontrar o esquema de vacinação correto.
  • Sistema de diferenciação de animais infectados e vacinados (differentiating infected from vaccinated animals, DIVA).
  • Reagentes pronto para uso.
  • Gerenciamento de dados fácil com o uso do software xChek®

* Disponibilidade/Distribuição: fora dos Estados Unidos. 

 

Entre em contato conosco

Detalhes do teste


Recursos

  • Específico para triagem.
  • Amostras de soro ou plasma.
  • Resultados em menos de três horas.

Números e tamanhos das peças

99-41189 (5 placas/bandas)

Actinobacillus pleuropneumoniae (APP)

A pleuropneumonia suína causada pelo Actinobacillus pleuropneumoniae (APP) é uma doença pulmonar altamente contagiosa que pode causar importantes perdas econômicas. Os sinais clínicos da doença aguda são dispneia, tosse, anorexia, depressão, febre e, ocasionalmente, vômitos. Na ausência de tratamento, a doença pode progredir muito rapidamente e pode ocorrer morte em poucas horas. As infecções crônicas são caracterizadas por tosse e pleurite.

É importante diferenciar a infecção da doença. De fato, muitos rebanhos estão infectados com APP sem apresentar qualquer evidência clínica da doença. Os suínos portadores abrigam o APP em suas cavidades nasais e/ou tonsilas. Esses animais representam a principal fonte de disseminação da infecção entre rebanhos. A mistura entre animais infectados com cepas virulentas do APP e animais nunca expostos imunologicamente, manejo inadequado, infecções concomitantes (p. ex., síndrome respiratória e reprodutiva suína — Porcine Reproductive and Respiratory Syndrome, PRRS —, pseudorraiva) e/ou quadros de estresse podem ser responsáveis pelo aparecimento súbito da doença clínica grave.

Foram descritos quinze sorotipos, que expressam variavelmente quatro citotoxinas proteináceas diferentes (citotoxinas ApxI, ApxII, ApxIII, ApxIV) pertencentes à família de toxinas de estrutura repetida (Repeat Toxins, RTX). Muitas evidências sugerem que essas toxinas desempenham um papel predominante na patogenicidade do APP com diferentes atividades (hemolíticas, citotóxicas, etc.). Por causa de suas fortes propriedades antigênicas, elas têm sido utilizadas no sorodiagnóstico de infecções por APP. No entanto, outras bactérias expressam toxinas que sorologicamente apresentam reação cruzada com ApxI, ApxII ou ApxIII.

Contrariamente, descobriu-se que a ApxIV, uma quarta RTX determinante, é comum e específica a todos os sorotipos.

Todas as soluções do teste

Teste de anticorpo contra ApxIV do APP da IDEXX



* Nem todos os produtos estão disponíveis e/ou registrados em todos os países.