IDEXX SDMA

Estudo de caso sobre SDMA: Reese

O SDMA ajuda a obter o diagnóstico e o tratamento de suspeita de pielonefrite e a melhora na função renal

Informações básicas

Nome: Reese
Idade: 16 anos
Raça: Domestic shorthair (gato doméstico de pelo curto)
Sexo: fêmea

Motivo da consulta e histórico
Reese foi levada ao consultório para sua avaliação anual de saúde. Os tutores achavam que Reese estava bem para um gato idoso. Seu apetite estava bom e eles não haviam percebido nenhuma perda de peso, tosse, espirros, vômitos, diarreia ou mudanças na ingestão de água ou na micção.

Exame físico
Reese estava esperta, alerta, responsiva e hidratada. Ela estava um pouco acima do peso, com escore de condição corporal (ECC) 6 em uma escala de 9 pontos. A temperatura, o pulso e a respiração estavam dentro dos limites normais. A ausculta torácica e a palpação abdominal estavam normais, assim como o restante do exame físico.

Plano de diagnóstico

Para a compilação de um banco de dados mínimo de saúde para animais idosos, foram recomendados hemograma completo (HC); painel bioquímico, incluindo o teste IDEXX SDMA e eletrólitos; urinálise completa; e T4 total. Os resultados do HC da Reese estavam dentro dos limites normais. Outros achados são apresentados abaixo.

Análise diagnóstica

Os resultados diagnósticos da Reese mostraram SDMA* elevado com creatinina normal e BUN elevado. Ela também apresentava capacidade de concentração urinária inadequada, com 1,018 de gravidade específica da urina. Além disso, a Reese apresentava sedimento urinário ativo, com >100 leucócitos por campo de grande aumento e bacteriúria acentuada. Com base nesses achados, foram realizados urocultura e teste de susceptibilidade, e foram cultivados >100.000 organismos/ml de Escherichia coli suscetíveis à maioria dos antibióticos, incluindo amoxicilina e amoxicilina/ácido clavulânico.

Plano de ação e resultados

Avaliação

Baseado no SDMA elevado da Reese com baixa gravidade específica da urina, estava claro que ela apresentava diminuição da função renal, além de infecção do trato urinário. 

Os diferenciais nesse momento incluíram:

  • Insuficiência renal aguda (IRA) ou ativa secundária à pielonefrite.
  • Doença renal crônica (DRC) com infecção do trato urinário (ITU) inferior concomitante.
  • IRA resultante da pielonefrite sobreposta à DRC, piorando a doença renal existente.

PLANO

Investigar

Diagnósticos adicionais que deveriam ser considerados para uma investigação mais profunda, mas que não foram realizados:

  • Ultrassonografia abdominal para buscar evidências de pielonefrite e descartar urolitíase.
  • Pressão arterial, uma vez que a hipertensão é um fator de confusão comum na doença renal.

Controlar

Tratamento iniciado: 

  • Clavamox 62,5 mg por via oral duas vezes ao dia durante um mês, para possível pielonefrite.
  • Fontes de água limpa e fresca permanentemente disponíveis.
  • Mudança da alimentação para Hill’s Prescription Diet k/d Feline e Royal Canin Veterinary Diet Renal para gatos. 

Monitorar 

Consulta de acompanhamento: 

  • De preferência, após duas semanas para determinar a resposta ao tratamento.
  • Contudo, o acompanhamento foi realizado após um mês para verificar se a infecção foi eliminada e se houve alguma melhora na função renal.
  • O diagnóstico de acompanhamento revelou que a concentração de SDMA havia diminuído de 19 µg/dl para 15 µg/dl, não havia leucócitos ou bactérias no sedimento urinário e a cultura foi negativa.

DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DE LONGO PRAZO

Diagnóstico

  • Suspeita de pielonefrite com base na melhora da função renal após o tratamento da ITU.
  • IRA resultante da pielonefrite sobreposta à DRC.

Tratamento de longo prazo

  • Tratar como DRC em estágio 2 segundo a classificação da Sociedade Internacional de Interesse Renal (IRIS [International Renal Interest Society]), incluindo a manutenção da dieta terapêutica renal.1 Para mais informações, acesse idexx.com/sdma-iris
  • Urocultura mensal para acompanhamento durante três meses consecutivos com resultados negativos.
  • A partir de então, acompanhamento do banco de dados mínimo e urocultura a cada três meses.

Relatórios do paciente

RESULTADOS INICIAIS

Bioquímica

Urinálise

Urocultura e CIM para avaliação da susceptibilidade

RESULTADOS DO ACOMPANHAMENTO

Urinálise

Urocultura

Bioquímica

Discussão

  • O SDMA é um indicador mais confiável da função renal em relação à creatinina tanto na IRA quando na DRC, pois é mais sensível e aumenta mais precocemente.2–4
  • Em animais de companhia como a Reese, um SDMA elevado em face de uma infecção do trato urinário deve levar a uma investigação adicional e à consideração de um tratamento mais agressivo para pielonefrite.
  • O tratamento e monitoramento de longo prazo desses animais de companhia podem ajudar a evitar e detectar futuras infecções e a diminuir a progressão da DRC subjacente.

Por que o SDMA é importante

Deslize para ver nossos software e produtos exclusivos.

Clique nas fotografias para saber como ações desencadeadas pelos resultados do teste IDEXX SDMA ajudaram Reese, Molly, Bess, Jimmy, Mary Jane, Scarlet e Zeke. Baixar os estudos de caso.

*Dimetilarginina simétrica.

Referências

  1. International Renal Interest Society. IRIS Guidelines. www.iris-kidney.com. Consultado em 21 de março de 2017.
  2. Nabity MB, Lees GE, Boggess M, et al. Symmetric dimethylarginine assay validation, stability, and evaluation as a marker for early detection of chronic kidney disease in dogs. J Vet Intern Med. 2015;29(4):1036–1044.
  3. Hall JA, Yerramilli M, Obare E, Yerramilli M, Jewell DE. Comparison of serum concentrations of symmetric dimethylarginine and creatinine as kidney function biomarkers in cats with chronic kidney disease. J Vet Intern Med. 2014;28(6):1676-1683.
  4. Hall JA, Yerramilli M, Obare E, Yerramilli M, Almes K, Jewell DE. Serum concentrations of symmetric dimethylarginine and creatinine in dogs with naturally occurring chronic kidney disease. J Vet Intern Med. 2016;30(3):794-802.